[RESENHA] HISTORIAR



Sarah é uma garota muito bonita, com olhos verdes e cabelos loiros, mas também era dona de uma timidez que a impedia de se relacionar de quem gostava. Ela é apaixonada por Alex, um atleta da mesma turma que ela. 

A melhor amiga de Alex, Karen, ouve do seu amigo uma revelação que a deixa muito irritada. Vendo Karen e Alex numa situação embaraçosa, Sarah, sendo apaixonada por Alex, finalmente põe sua timidez de lado e se envolve na discussão, que termina em arranhões, um olho roxo e muito mais.

No dia posterior a briga, o clima na sala de aula não é dos melhores. Sarah, Karen e Alex mantêm pensamentos fixos e distintos. Sarah está espantada, pois de um dia para o outro se tornou o centro das atenções e não se sentia tão tímida como antes. Karen está com raiva pela interrupção de Sara e por sua atitude inesperada. E Alex se pergunta o porquê de Sarah, uma garota que nunca teve nenhuma relação próxima com ele, se envolveu naquela discussão tão pessoal. Além desses pensamentos, os assassinatos frequentes que ocorreram na cidade também estavam disputando a atenções dos alunos. 

Grande parte da história é passada em um ambiente escolar, ou seja, é repleta de figuras adolescentes diversificadas. Romance, brigas, traições, dúvidas, drogas, falsas amizades, ciúmes e muito mistério são alguns dos assuntos abordados em O Pentagrama. O tema dos trabalhos escolares, feiras ou até mesmo a rotina da escola, foram muito bem escolhidos e esse fato enriqueceu bastante o lado detalhista da história. O local de uma viagem feita por alguns personagens também me agradou muito.

Sarah é confusa e nunca sabe direito o que quer. Muitas vezes a personagem me irritou com os seus pensamentos. Estou longe de ser uma pessoa decidida, mas me vi com vontade de entrar na história e dar uma sacudida naquela imaginação, pra ver se ela finalmente se decide sobre o que é melhor para sua vida. Mas, com o decorrer da leitura, percebi que esse era um ponto interessantíssimo. Alex é o personagem que mais me agradou, pois possuía um bom coração.  

Magia é um dos temas abordados no livro, talvez o principal, e foi o que mais me chamou a atenção. As últimas páginas são bastante completas em relação a esse tema, dando a sensação de que tudo o que está acontecendo, poderia mesmo acontecer com qualquer um na vida real. Fiquei imaginando quem seria o assassino ou invocador e, em momento algum pensei ser quem realmente era. Foi uma jogada de mestre do autor.

E por fim, o final é lindo, lindo lindo. Faz a gente perceber o quanto perdoar pode ser bom. Fiquei encantada com a situação e satisfeita com os acontecimentos. Vitor Mendes escreveu a história de uma forma incrível, fazendo com que os fatos se encaixassem perfeitamente. E ele é o primeiro autor parceiro do blog, vou aproveitar para agradecer a oportunidade e desejar muito sucesso!

Resenha por Thamiris Dondóssola